Keith Haring - Artista | Almeida & Dale

Keith Haring

Pensilvânia - EUA, 1958 Nova Iorque - EUA, 1990

Nascido na Pensilvânia, em 1958, Keith Haring desenvolveu um amor pelo desenho desde muito cedo, aprendendo habilidades básicas de desenho animado de seu pai e da cultura pop ao seu redor, como Dr. Seuss e Walt Disney.

Ainda jovem, mudou-se para Nova York e se matriculou na Escola de Artes Visuais (SVA). Na megalópole, encontrou uma cena de arte alternativa pulsando fora do circuito de galerias e museus, nas ruas do centro, nos metrôs e espaços em clubes e se tornou amigo de Kenny Scharf e Jean-Michel Basquiat, bem como de músicos, artistas performáticos e grafiteiros que compunham a florescente comunidade artística. Haring foi arrebatado pela energia e espírito dessa cena e começou a organizar e participar de exposições e apresentações no Club 57 e em outros locais alternativos.

Além de ficar impressionado com a inovação e energia de seus contemporâneos, o jovem artista também se inspirou no trabalho de Jean Dubuffet, Pierre Alechinsky, William Burroughs, Brion Gysin e to manifesto de Robert Henri “The Art Spirit”, que pregava a independência total do artista. Já nos seus primeiros trabalhos, experimentou performance, vídeo, instalação e colagem, mantendo sempre um forte compromisso com o desenho. Em 1980, encontrou um meio de expressão que lhe permitiu se comunicar com o público mais amplo que buscava, quando notou painéis publicitários não utilizados cobertos com papel preto fosco em uma estação de metrô. Começou a criar desenhos em giz branco sobre esses painéis de papel em branco em todo o sistema de metrô. Entre 1980 e 1985, produziu centenas desses desenhos públicos em linhas rápidas, às vezes criando até quarenta “desenhos de metrô” em um dia. Esse fluxo contínuo de imagens tornou-se familiar para os viajantes de Nova York, que muitas vezes paravam para interagir com o artista quando o encontravam no trabalho. O metrô tornou-se, como disse Haring, um “laboratório” para trabalhar suas ideias e experimentar suas linhas simples.

Entre 1980 e 1989, Haring alcançou reconhecimento internacional e participou de inúmeras exposições coletivas e individuais. Sua primeira exposição individual em Nova York foi realizada no Westbeth Painters Space em 1981. Em 1982, estreou na galeria Soho com uma exposição individual altamente aclamada. Nesse período, também participou de renomadas mostras internacionais, como a Documenta 7 em Kassel; a Bienal de São Paulo; e a Bienal de Whitney..

Ao longo de sua carreira, Haring dedicou grande parte de seu tempo a obras públicas, que muitas vezes carregavam mensagens sociais, muitas das quais foram criadas para instituições de caridade, hospitais, creches e orfanatos.

Diagnosticado com AIDS em 1988, no ano seguinte criou a Fundação Keith Haring, cujo objetivo era fornecer financiamento e imagens para organizações de AIDS e programas infantis, e expandir o público para o trabalho de Haring por meio de exposições, publicações e licenciamento de seus imagens.

Keith Haring morreu de complicações relacionadas à AIDS aos 31 anos em 16 de fevereiro de 1990. Sua obra pode ser vista hoje nas exposições e coleções dos principais museus do mundo.

Sem título, 1981

tinta sumi sobre papel
183 x 224 cm

Segunda a sexta-feira das 10h às 18h
Exceto feriados

+55 11 3882 7120
galeria@almeidaedale.com.br

Rua Caconde, 152 – 01425-010
São Paulo – SP